Medicina de Tráfego é uma especialidade com poucos profissionais e muitas oportunidades

 

Ao contrário do que se imagina, a Medicina de Tráfego vai muito além de renovar habilitação. Ela engloba uma gama de áreas de atuação e colabora de maneira imprescindível com a segurança do trânsito, proporcionando uma melhor qualidade de vida para as pessoas. Vale ressaltar que a especialidade é reconhecida pela Associação Médica Brasileira, pelo Conselho Federal de Medicina e pela Comissão Nacional de Residência Médica.

medicina-de-trafego-pos-graduacao

O que é?

Para iniciar, precisamos definir o que é Medicina de Tráfego, essa especialidade médica nem tão popular, mas com muitas oportunidades. Segundo a ABRAMET, a Medicina de Tráfego é responsável pela manutenção do bem-estar físico, psíquico e social do ser humano que se desloca, qualquer seja o meio que propicie a sua mobilidade. Essa especialidade cuida das interações entre o deslocamento, os meios e o homem, visando o equilíbrio ecológico.

Sendo assim, essa especialidade se propõe a estudar as causas do acidente de tráfego, com o intuito de preveni-lo ou mitigar suas consequências. Além disso, a Medicina de Tráfego contribui com subsídios técnicos para a elaboração do ordenamento legal e a modificação do comportamento do usuário do sistema de circulação viária.

Áreas de atuação

Suas principais áreas de atuação são: Medicina de Tráfego Preventiva, Curativa, Legal, Ocupacional e Medicina de Viagem. A Medicina de Tráfego Preventiva identifica os fatores etiológicos dos acidentes, grupos de risco e, caracteriza índices de morbimortalidade e incapacidades produzidas pelos acidentes de trânsito; a Curativa cuida do atendimento no local do acidente (atendimento pré-hospitalar); a Legal realiza perícias, avaliações e colabora com elaboração dos dispositivos legais do sistema de trânsito; a Ocupacional cuida da prevenção das doenças dos motoristas profissionais; a Medicina do Viajante ascende em função da intensificação dos deslocamentos humanos, estuda o planejamento da viagem, imunização nas viagens, entre outros aspectos; a Medicina Aeroespacial especializa médicos para atuarem no transporte aéreo de doentes; e a Securitária alivia os danos causados pelos acidentes de tráfego para efeito de recebimento de seguros pessoais.

A especialidade em Medicina de Tráfego é obtida através de Pós-graduação reconhecida pela ABRAMET ou Residência Médica. Para exercer a atividade, é necessário que o aluno preste a prova de título de especialista pela Associação Médica Brasileira (AMB). Atualmente ainda há poucos médicos especialistas em Medicina de Tráfego, o que faz dela uma área carente de profissionais.

Como é o dia a dia do Médico de Tráfego?

A rotina do médico de tráfego é mais tranquila, se comparada à realidade das outras especialidades. Esse profissional atua nas clínicas conveniadas ao DETRAN. Em sua lista de atividades está, por exemplo, o exame de aptidão física e mental dos candidatos, identificando pressão arterial, acuidade auditiva, acuidade visual, campo visual, aparelho músculo-esquelético. Caso haja necessidade, o médico de tráfego solicita o parecer de outros profissionais para elucidar quaisquer dúvidas. Além da avaliação do condutor, há outras atuações para o médico de tráfego. Um exemplo interessante são as juntas médicas de trânsito, que cuiqdam daqueles candidatos que necessitem de carros adaptados. Essa avaliação é normalmente realizada por três médicos especialistas em Medicina do Trânsito, que verificam a segurança no tráfego, tanto para o condutor quanto para terceiros.

Oportunidades de trabalho:

Há muita oportunidade de emprego para o profissional formado em Medicina de Tráfego, justamente por essa ser uma especialidade menos conhecida e com poucos especialistas no Brasil. No momento, há aproximadamente 3.600 médicos de tráfego registrados pela Associação Brasileira de Medicina do Tráfego.

 

Ligamos para você!
0800 600 3720
Central de Matrículas
X
Nós ligamos para você!
Whatsapp