5 exames que devem ser evitados em crianças

 

Você já ouviu falar em Choosing Wisely? Escolhendo sabiamente – na tradução para o português – é uma campanha que desafia uma prática muito comum na medicina, que é o uso excessivo de intervenções médicas. “Mais” nem sempre é “melhor”, e só porque podemos, não quer dizer que devemos intervir no paciente.

 

Como parte da campanha Choosing Wisely, a seção de Endocrinologia da American Academy of Pediatrics publicou uma lista com cinco exames que devem ser evitados em crianças. As recomendações são:

 

1) Evitar pedir exames hormonais (LH e FSH e estradiol ou testosterona) para crianças com pelos púbicos e/ou odor corporal, mas nenhum outro sinal de puberdade.

2) Evitar pedir exames de triagem em busca de uma doença crônica ou uma condição endócrina (incluindo CBC, CMP, IGF-1, tireoide e anticorpos celíacos) para crianças saudáveis que estão crescendo em ou acima do percentil 3 para a altura, com uma taxa de crescimento normal e com ganho de peso apropriado.

3) Evitar pedir exames rotineiros para medir concentrações de vitamina D em crianças saudáveis, incluindo as com excesso de peso ou obesidade.

4) Evitar medir rotineiramente a função da tireoide e/ou níveis de insulina em crianças com obesidade.

5) Evitar solicitar ultrassonografias da tireoide rotineiramente em crianças com bócio simples ou tireoidite de Hashimoto.

 

As recomendações visam preservar a integridade da criança. Visto que se tratam de seres em frágeis e em desenvolvimento, na maioria das vezes não cabe a solicitação de um exame tão dispensável, que só acarretaria em trauma e dor para a criança. Por isso, a Academia Americana de Pediatria orienta que o pediatra ou endocrinologista solicite somes os exames fundamentais ao diagnóstico.

 

Fonte: PEBMED

 

Ligamos para você!
0800 600 3720
Central de Matrículas
X
Nós ligamos para você!
Whatsapp