O número de crianças e adolescentes que cometem suicídio cresce 19%

Publicado em 19/09/2018

Ele já é considerado um grave problema de saúde pública, mas para muitos, ainda é um tabu. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, mais de 800 mil pessoas tiram a própria vida por em todo mundo. Isso equivale a uma morte a cada 40 segundos. A cada três segundos, uma pessoa atenta contra a própria vida.

No Brasil a realidade não é diferente. Segundo dados da Associação Brasileira de Psiquiatria, todos os anos no país são registrados mais de 10 mil suicídios. A estimativa é de que a cada 10 tentativas, uma se concretize.

Mas os números apontam uma situação ainda mais grave. Um levantamento do Ministério da Saúde apontou que o número de crianças e adolescentes até 19 anos que se mata cresceu 19% em dez anos.

Dentre os principais fatores que causam o suicídio estão os transtornos de humor (35,8%), os transtornos relacionados ao uso de substâncias (22,4%), os transtornos de personalidade (11,6%), a esquizofrenia (10,6%) e os transtornos de ansiedade/somatoformes (6,1%).

Especialistas afirmam que essas mortes podem ser evitadas com a ajuda de tratamento adequado, indicado por profissionais qualificados e suporte familiar e social. Além disso, é preciso ficar atento aos sinais que as crianças podem emitir quando estão depressivas, como irritabilidade excessiva, choro, falta de apetite, falta de sono, isolamento dos amigos e da família, alteração de humor e queda do rendimento escolar.

Ligamos para você!
0800 600 3720
Central de Matrículas
X
Nós ligamos para você!
Whatsapp