A cada 48s, um acidente de trabalho é registrado no Brasil

Publicado em 05/09/2018

Os dados impressionam e revelam uma triste realidade que coloca em risco todos os dias a saúde de milhares de trabalhadores brasileiros. De acordo com uma pesquisa divulgada pelo Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, nos últimos seis anos, foram registrados mais de 4 milhões de acidentes de trabalho no Brasil. Desses, quase 16 mil funcionários perderam a vida. Estima-se ainda que a cada 48 segundos, em média, um trabalhador se acidente no seu local de trabalho no país.

Situação que faz do Brasil o quarto país do mundo no ranking de acidentes de trabalho, de acordo com o Ministério do Trabalho. Em 2017, mais de 37 mil casos foram causados por quedas no ambiente de trabalho, conforme o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Das mais de 1.100 mortes, 161 ocorreram por consequências de quedas. Os motivos variam entre a falta de equipamentos de segurança, cansaço ou até mesmo distração.

E se esses índices já assustam, a situação pode ser ainda pior. Isso porque especialistas afirmam que muitos casos não são divulgados e por isso deixam de ser contabilizados. Ou seja, esse número pode ser ainda maior.

Além de comprometer e prejudicar a saúde dos colaboradores, os acidentes também impactam na economia. Ao longo dos últimos anos, esse tipo de ocorrência acabou gerando um gasto de R$ 26 bilhões para a Previdência. Recursos que foram utilizados para pagar benefícios, como auxílio-doença, aposentadoria por invalidez, pensão por morte e auxílio- acidente.

Para se ter uma ideia, só no estado de São Paulo, foi realizado o pagamento de mais de 436 mil auxílios-doença por acidente do trabalho no período. O impacto previdenciário dos afastamentos alcançou a marca de R$ 4 bilhões, com a perda de mais de 70 milhões de dias de trabalho.

Os acidentes mais comuns

A maioria dos acidentes – 636.411 (21,03%) – acontece por corte, laceração, ferida, contusão e punctura (corte profundo, mas com diâmetro pequeno). Em seguida vêm os acidentes com fratura, 529.360 (17,05%) e por contusão e esmagamento na superfície, 476.281 (15,74%).

O que diz a lei

Segundo o artigo 19 da Lei nº 8.213/91, que diz respeito aos acidentes de trabalho, a principal responsabilidade das empresas é oferecer um ambiente seguro aos seus funcionários. Com o intuito de estar dentro das normas, algumas empresas oferecem um treinamento admissional apropriado para cada função que será exercida dentro da instituição. Segundo as leis trabalhistas brasileiras, não existe um prazo estabelecido sobre quanto tempo deve durar esse treinamento de funcionários.

 

 

A importância da Medicina do Trabalho

A Medicina do Trabalho é a especialidade médica que lida com as relações entre homens e mulheres trabalhadores e seu trabalho, visando não somente à prevenção dos acidentes e das doenças do trabalho, mas à promoção da saúde e da qualidade de vida. Tem por objetivo assegurar ou facilitar aos indivíduos e ao coletivo de trabalhadores a melhoria contínua das condições de saúde, nas dimensões física e mental, e a interação saudável entre as pessoas e, estas, com seu ambiente social e o trabalho.

A Medicina do Trabalho está construída sobre dois pilares: a Clínica e a Saúde Pública. Sua ação está orientada para a prevenção e a assistência do trabalhador vítima de acidente, doença ou de incapacidade relacionada ao trabalho e, também, para a promoção da saúde, do bem estar e da produtividade dos trabalhadores, suas famílias e a comunidade.

Diante desse cenário, estar qualificado torna o Médico do Trabalho um profissional ainda mais essencial na luta pela garantia da saúde dos trabalhadores. Nosso curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Medicina do Trabalho está com inscrições abertas para novas turmas em São Paulo.

Para saber mais, entre em contato pelo 0800 600 37 20 ou inscreva-se aqui.

Medicina do Trabalho

Você é graduado em medicina?
SimNãoNão informado
Ligamos para você!
0800 600 3720
Central de Matrículas
X
Nós ligamos para você!
Whatsapp