Cerca de 10% das crianças no mundo sofrem com a tuberculose

Publicado em 27/08/2018

Ela é uma das doenças infecciosas que mais mata no mundo. É altamente contagiosa e pode ser transmitida pela via aérea ou através da saliva e contato com secreções de indivíduos contaminados.

A Organização Mundial da Saúde fez um alerta sobre a doença no ano passado. A OMS assegurou que a tuberculose havia superado o HIV/aids em número de falecidos e se situava como a nona causa de morte no mundo.

Só em 2016, das 10,4 milhões de pessoas que contraíram a infecção, 1,7 milhão morreram.

A tuberculose é considerada uma doença grave e estima-se que 10% dos pacientes sejam crianças e adolescentes.

De forma geral, no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, a doença chega a atingir 70 mil pessoas por ano, além de levar à morte 4,5 mil pacientes.

A Tuberculose em crianças

As crianças são consideradas paucibacilíferas, e isso pode dificultar o diagnóstico bacteriológico de certeza tornando a anamnese fundamental, uma vez que ela pode fornecer o diagnóstico epidemiológico e elementos da História Natural da Doença.

Geralmente, a tuberculose não é contagiosa em crianças com menos de 12 anos. Isso porque, na tosse são eliminados poucos bacilos, isso sem contar que as lesões pulmonares costumam ser menores do que as em adolescentes e adultos.

Principais Sintomas da tuberculose

Entre os principais sintomas da tuberculose estão febre alta insistente, falta de ar, sensação de mal-estar, dores na região do tórax, palidez, irritabilidade e perda de peso considerável.

Como a infecção se manifesta

O quadro de infecção começa nos pulmões do paciente com a inflamação local causada pelas bactérias que pode se estender para outras partes do corpo, tendo risco de se multiplicar e afetar diretamente todo o sistema imunológico.

Diante desse quadro três situações podem surgir:

-Desenvolvimento da doença Tuberculose Pulmonar: Quando o sistema imunológico do paciente está debilitado e entra em contato direto com as bactérias;

-Infecção latente: Todo indivíduo tem chances de ter a bactéria alojada ao corpo durante um longo período, sendo ativa apenas quando sua imunidade cai;

-Eliminação: Quando o organismo consegue eliminar a bactéria mesmo em contato direto, sem causar nem um sintoma da doença ao paciente.

Diferentes tipos de Tuberculose

A Tuberculose pode afetar o paciente de diversas formas, sendo divididas pelas categorias de Tuberculose Extrapulmonar, Tuberculose Pleural, Tuberculose Óssea, Tuberculose Ganglionar, Tuberculose Urinária, Tuberculose Ocular, Tuberculose Cutânea, Tuberculose no Coração, Tuberculose do Peritônio e Tuberculose Cerebral.

Diagnóstico

O diagnóstico da doença é dividido em Baciloscopia do escarro, Radiologia e Teste Tuberculínico. Em crianças, há um desafio maior, uma vez que há a dificuldade em demonstrar o bacilo Mycobacterium tuberculosis.

Para as crianças menores de 10 anos é utilizada uma escala de pontuação onde é levado em conta os sinais clínicos, radiológicos e epidemiológicos para fazer o diagnóstico.

Formas de tratamento

O tratamento da tuberculose em crianças é feito em regime ambulatorial, sendo totalmente supervisionado e tendo, pelo menos, 3 observações semanais a partir da tomada dos medicamentos nos primeiros 2 meses e 1 observação por semana até o final. Já a hospitalização só é admitida em casos considerados especiais, como intolerância aos medicamentos, meningite tuberculosa e complicações graves da tuberculose.

Os medicamentos utilizados em casos de tuberculose nas crianças menores de 10 anos são: Rifampicina, Isoniazida e Pirazinamida. Para maiores de 10 anos acrescentamos ao esquema de tratamento também o Etambutol.

A vacina contra tuberculose se chama BCG e é oferecida para crianças de 0-6 anos (não sendo válido para portadores do vírus HIV).

 

Ligamos para você!
0800 600 3720
Central de Matrículas
X
Nós ligamos para você!
Whatsapp