Precisamos falar sobre a obesidade infantil

25/06/2018

A obesidade infantil tem aumentado significativamente nas últimas décadas. É apontada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), como um dos maiores problemas de saúde pública do século XXI.

 Ela gera sérias consequências para a vida adulta, inclusive com problemas como diabetes mellitus tipo 2, doenças cardiovasculares, gordura no fígado e problemas articulares.

 Também na infância, podem aparecer problemas como hipertensão, resistência à insulina, dificuldades respiratórias e outros. Porém, é muito relevante a insatisfação com a aparência, baixa autoestima e depressão apresentada pelas crianças obesas.

Fatores que podem refletir fortemente no comportamento familiar e escolar, prejudicando a qualidade de vida das crianças.

A causa da obesidade é multifatorial envolvendo predisposição genética, fatores ambientais e comportamentais, mas muito se atribui ao estilo de vida. Uma vida marcada pela redução da atividade física, aliada a um padrão alimentar inadequado. Alternativas que incluem uma grande oferta de alimentos industrializados, semiprontos, geralmente repletos de aditivos químicos e propriedades inflamatórias, baratos, saborosos, em porções exageradas, ricos em calorias vazias, ou seja, alimentos que têm muitas calorias, porém são pobres em nutrientes importantes ao organismo.

 Para o tratamento de uma criança com obesidade o ideal é que tenha o envolvimento de toda a família. Todos devem compactuar hábitos de atividades física, tipos de passeio, oferta de comida na casa, bem como, as refeições efetuadas fora de casa, sempre praticando e incentivando uma alimentação saudável.

 A alimentação infantil correta e um estilo de vida saudáveis devem ser mentidos com a maior constância possível.

 Nada de dietas milagrosas ou qualquer outra busca por resultados imediatistas. Não só as calorias devem ser levadas em conta, mas também a qualidade e procedência dos alimentos, as preferências alimentares de cada indivíduo, o aspecto financeiro e o estilo de vida.

 Para a obesidade, o melhor remédio é a prevenção.

 O que determina o sucesso de uma boa alimentação e uma vida mais saudável é a constância dos novos hábitos.

 Fonte: Bia Dorazio, Nutricionista Clínica Funcional, especializada em Nutrição e Saúde na Infância e na Adolescência

g1.globo.com/sp/presidente-prudente-regiao/blog/nutricao-pratica/post/obesidade-morbida-infantil.html

 

Ligamos para você!
0800 600 3720
Central de Matrículas
X
Nós ligamos para você!
Whatsapp