Profissionais têm dificuldade para diagnosticar Doença de Chagas

O levantamento foi realizado com profissionais de saúde, gestores e usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) em seis cidades brasileiras com histórico de casos de Chagas ou que têm centros de referência para o tratamento da doença.

Entre os profissionais ouvidos, apenas 32% conheciam os procedimentos de diagnóstico da doença. Quando questionados sobre o tratamento, 41% afirmaram saber que existe um medicamento específico para a doença, mas somente 14% sabiam dizer o tipo de medicamento indicado.

Entre os 177 usuários das unidades básicas ouvidos, que não têm a doença, menos de 30% sabiam que é possível curá-la na fase aguda.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a estimativa é que hoje entre 6 e 8 milhões de pessoas no mundo estão infectadas. No Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde, entre 1,9 milhão e 4,6 milhões de pessoas são afetadas pela doença de Chagas e cerca de 6 mil morrem anualmente devido a complicações crônicas.

Sobre a doença

 

A Doença de Chagas é uma doença infecciosa causada por um parasita, o protozoário Trypanosoma cruzi, que entra na corrente sanguínea. A doença tem duas fases bem definidas, uma aguda, muitas vezes assintomática, e uma crônica.

O medicamento usado para o tratamento de Chagas é o mesmo usado há décadas, o benzonidazol. Se a doença não for tratada, o paciente pode permanecer com o parasita no sangue por décadas de forma latente, sem nenhum sintoma e sem saber que está infectado.

Complicações

As complicações da doença acontecem na fase crônica. Esse processo pode levar mais de 20 anos do momento inicial da infecção até o desenvolvimento de problemas cardíacos ou digestivos. Alterações no batimento do coração como arritmias, taquicardia e insuficiência cardíaca podem levar à morte súbita. Outras complicações como o aumento do esôfago e cólon também são percebidas podendo levar à desnutrição.

 

 

Ligamos para você!
0800 600 3720
Central de Matrículas
X
Nós ligamos para você!
Whatsapp