Quando a dificuldade com a matemática é um distúrbio

Segundo pesquisas, de 3% a 6% da população mundial sofre com a Discalculia. Distúrbio de aprendizagem que afeta a habilidade de crianças para fazer cálculos matemáticos, compreender conceitos numéricos e utilizar fórmulas, símbolos ou qualquer outro ícone que faça alusão ao saber matemático.

Assim, quem sofre com o problema demonstra dificuldades para aprender e entender conceitos numéricos e operações matemáticas. O transtorno pode ser hereditário ou se desenvolver quando o bebê ainda está no útero da mãe.

 

Existem vários sinais de alerta para detectar essa condição em crianças.

Na fase pré-escolar:

– A criança demonstra dificuldades para aprender a contar os dedinhos da mão.
– O pequeno não reconhece os padrões menor/maior ou mais longo/mais curto;
– O aluno não consegue discernir os diferentes algarismos;
– O estudante não segue a ordem correta dos números (1 a 5, por exemplo).

Na fase do ensino fundamental:

– Problemas na aprendizagem de operações básicas, como adição e subtração;
– Não reconhece os quatro sinais utilizados no período acadêmico correspondente (+), (-), (x), (/);
– Usa os dedos para contagem simples por não ter facilidade para raciocinar.

Na fase do ensino médio:

– Dificuldades para compreender valores;
– Dificuldades para lidar com medidas;
– Situações corriqueiras como decifrar os resultados em um placar eletrônico;
– Não consegue olhar as horas em relógio de ponteiro;

Na universidade:

– Problemas para ler gráficos e infográficos;
– Dificuldade de obter sucesso em provas de vestibular que envolva números e fórmulas;
– Evasão de cursos voltados para a área de exatas ou engenharias.

 

Discalculia tem tratamento?

Além da família e de quem convive diretamente com os pequenos, também é importante que crianças com discalculia contem com o apoio de profissionais como professores, pedagogos e professores de educação especial. Eles é que podem conseguir fazer com que o aluno utilize a matemática de uma forma mais estratégica e menos traumática.

Ligamos para você!
0800 600 3720
Central de Matrículas
X
Nós ligamos para você!
Whatsapp